dia a dia

Casa da Vovó

16:50

Há alguns dias levamos a nossa filha para conhecer a bisa paterna, que mora num sítio típico e simples em Itaberaba. No caminho até lá, meu marido contou tantas histórias da infância dele naquele lugar... Já reparou que várias recordações felizes que as pessoas têm da época de criança estão ligadas à casa dos avós? Não é de se admirar, afinal, como dizem por aí, os avós são pais com açúcar. Chega a ser desleal essa coisa toda, porque eles não fazem o papel de educadores, são, na verdade, aqueles que amam muito, mas mimam, deixam à vontade, têm o coração mais mole, não impõem regras,  ou seja, somente estragam e curtem as crianças.  

Imagens do sítio. Fotos: Daniel Queiroz (o papai)

Os avós relativizam as normas facilmente, acham tudo uma bobagem, ignoram as regras criadas pelos filhos para os netos, quebram a rotina pré-estabelecida - não existe hora pra dormir, assistir televisão ou limite para as guloseimas. E as crianças? Aaaaah! Aproveitam como podem, adoram tanta novidade e liberdade.

Fogão à lenha é raridade hoje, né?

E o pior... Os avós não escodem que são assim. São e pronto! Os pais que se virem para consertar os danos causados nos dias de feriado, férias ou final de semana. Isso é histórico e nunca vai mudar. Pais são pais, o amor que encaminha, avós são avós, o amor que realiza os desejos. 

Contrastes...

Em homenagem às vovós, que junto com os vovôs foram homenageadas por tantas famílias ontem (26 de julho, Dia dos Avós), publico neste texto alguns depoimentos de avós apaixonadas, que falam com felicidade sobre o sentimento que têm pelos netos.

Minha filha, com dois meses, no colo da vovó Ana Rita

"A Bíblia diz que os filhos são herança do Senhor, um sentimento inexplicável, um amor sem medida. Ser avó é receber um presente de Deus, um amor mais tranquilo, sem muita responsabilidade. Ter o filho do seu filho nos braços é um renovo que Deus nos dá para compensar a falta que nós sentimos de carregar nosso próprio filho nos braços, de acalentar seu choro. Me sinto agraciada por poder vivenciar esse momento tão especial." Ana Rita Vaz de Queiroz, vovó da minha filha, que tem 7 meses 

"Eu ainda não encontrei as palavras que possam descrever esse sentimento tão mágico. Só sei que é que uma sensação maravilhosa. É como ser mãe duas vezes." Mires Côrtes, vovó de João Marcelo (4 meses)

"Sou uma vovó agradecida à Deus por Seu imenso amor e pela vida dos meus netos! Hoje me sinto realizada, não tenho palavras para definir, é muito bom. Só o amor de Deus para superar esse amor que vem com os frutos do meu fruto! Konça Rebouças, vovó de Yuri (12 anos) e Yara (1 ano e 9 meses)

You Might Also Like

0 comentários

Que bom ter a sua participação! Volte sempre!

Like us on Facebook