Pular para o conteúdo principal

Necessidades consumistas criadas para os pequenos

Estava fazendo uma arrumação nos armários de casa e encontrei o livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”. Passando algumas páginas, acabei me concentrando na parte que fala sobre como economizar com os filhos. Dentre as dicas do autor, achei superinteressante a de não viciar os filhos em produtos ou lazeres dispensáveis. Um exemplo foi o dos pais que apresentam aos pequenos o famoso “lanche do palhaço”, sem que eles tenham pedido, criando o hábito semanal de consumo do que não é bom para saúde nem para o bolso. Concordo plenamente.

Concordo também com uma mãe que conheço. Ela foi criticada por não deixar o filho abrir de uma só vez todos os (muitos) brinquedos que ganhou de aniversário. A maior parte dos presentes foi guardada, ainda nos embrulhos. Aos poucos, com o passar do meses, as caixas foram sendo oferecidas ao menino. O que, de fato, um pirralhinho faria com aquela montanha de brinquedos ao mesmo tempo? Criança enjoa rápido de tanta fartura! Acho importante criar os filhos valorizando o que têm.


Minha pequenina descobrindo as cores e formas. Foto: Ingrid Dragone

O mundo estimula demais o consumismo... Você já parou para assistir a alguns minutos de programação infantil matutina num canal de tv aberta? Fiquei horrorizada (exausta até!) outro dia. Estava num consultório médico esperando atendimento e fui bombardeada com centenas de propagandas de brinquedos mega-blaster-ultra maravilhosos, modernos e, obviamente, bem caros. Fazem uma lavagem cerebral nas crianças!!! Parecia aquela velha campanha da marca de chocolate Garoto: “compre Batom, compre Batom, seu filho merece Batom”.

Na contramão disso, estamos testemunhando recentemente o fenômeno mundial do desapego. Falei sobre o assunto aqui uma vez. Sou adepta, inclusive. Tomara que não seja uma moda. Tomara que as pessoas queiram mesmo viver com menos, apenas com o que usam, sem exageros. Seria legal ver as crianças voltando a pular corda, brincar de amarelinha, cacique, passar o anel, e a usar tinta guache e aquarela.

Comprar, obviamente, é prazeroso, mas, como tudo na vida, é um verbo que pede equilíbrio. Não vamos criar necessidades consumistas! O mercado inventa e lança produtos e serviços e a gente pode decidir se eles são essenciais para a vida.


Leia também:

Lições de mãe em um mundo competitivo

A incrível habilidade da criança de se interessar por coisas que não foram feitas para ela

Hora de brincadeira e passatempo

Deixar ser criança

Nosso filho não é nosso



Instagram: @blog.essamae

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí! Foto: Ingrid Dragone 1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente a

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho!  Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos,  infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF ( Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) -  e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40%

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar.  Foto: Ingrid Dragone  1.  Não poste fotos do seu filho nu  - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa no