Pular para o conteúdo principal

Oito vantagens de uma gravidez planejada

Sempre quis ser mãe. Sabia que só me sentiria completa assim. E, ao mesmo tempo, sempre pensei em planejar a chegada de um filho. Listei alguns sonhos e aos poucos os itens "riscados" foram me aproximando da maternidade. Sabe aquela história do relógio biológico? Pois é. Em paralelo à lista, comecei a ficar ainda mais sensível para questões e situações envolvendo crianças, e percebi que já estava na hora de cuidar de um pirralhinho. Quero, então, compartilhar com você a minha experiência de gravidez planejada, porque não rolou medo (só um pouquinho) e frustração.  

Nós dois esperando ela chegar. Foto: Thaís Ribeiro

1. Queria me casar antes de ser mãe. Encontrei o meu príncipe encantado (te amo, Bu Bis!) e subimos ao altar em 2010. Acredito na importância da família para a criação de um filho, sabe?

2. Adquirimos bens materiais que consideramos importantes para a acolhida do nosso filhote, como um carro maior e apartamento próprio (compramos na fase do noivado).

Dia mais que especial! 20 de novembro de 2010!

3. O tempo que tivemos a sós foi fundamental para fortalecer a nossa relação. Viajamos bastante, saímos muito para jantar, para dançar, curtimos longos cochilos nas tardes de sábado, assistimos muitos filmes... Foi um tempo muito bom e que não voltará. Ter uma história legal "pré-filho" é importante para o casal.

Passeio de gôndola em Veneza. Sonho realizado em novembro de 2013!

4. Sou jornalista há dez anos, formada também em Letras, e trabalhei bastante, encarando vários projetos e desafios profissionais. A jornada foi essencial para minha realização pessoal e autoestima. Pedi demissão para cuidar da minha filha e hoje trabalho home office, com meu blog. Foi bom costurar uma carreira ("na rua") e não ter agora a sensação de "como teria sido?". 
   
Na época em que trabalhava na Record. Não tô lembrada do ano!

5. Me joguei nos meus hobbies prediletos, como dançar. Faço isso desde os cinco anos de idade! Minha última apresentação ocorreu poucos meses antes da gravidez. Representou uma despedida temporária de uma grande paixão em minha vida - já voltei a dançar! - e me agarrei àquela oportunidade com muito amor. Sensação de fechamento de um ciclo.

Apresentação no Teatro Castro Alves. Ensaiei muitas coreografias e foi um momento inesquecível, no final de 2013.

6. Checamos nossa fertilidade; avaliei melhor o meu estado de saúde e se a gravidez poderia ser de risco; tomei suplementos indicados para o desenvolvimento saudável do feto; cortei com antecedência hábitos ruins, como uma alimentação inadequada. Só dei uma liberada geral pro chocolate.

7. Preparamos o quarto e o enxoval do bebê passo a passo, curtimos o momento, e sem impactar o bolso de repente, no susto. Achei tão gostoso ir arrumando o cantinho da minha filha, pensando em cada detalhe... Adorava ficar na porta do quarto imaginando como seria quando ela estivesse ali.

8. Quando a gravidez é planejada a gente se sente mais segura, mais preparada, e vai buscando informações com antecedência. Além disso, o papai também vai digerindo o novo "contexto" com tranquilidade.  

Hoje nossa vida é ainda mais bonita, com emoções surpreendentes! Foto: Renê Sampaio

Olha, comigo foi assim, tudo planejadinho, e foi maravilhoso. Aconselho, mas digo: filho é benção! E se não vier planejado, vai gerar amor do mesmo jeito! A gente nem lembra direito como era a rotina da casa e do casal antes de a criança chegar!


Leia também:









Instagram: @blog.essamae

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí!

1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente até hoje (ela tem 10 meses).
2. O…

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho! 
Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos, infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) - e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40% a incidênc…

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar. 


1. Não poste fotos do seu filho nu - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa nova. Os pedófilos gostam de procurar f…