ser mãe

Mãe desce do salto

11:17

*Artigo divulgado na Revista Paralela, da qual sou colunista de maternidade.

Olhe para as suas mãos. Talvez elas nunca tenham ficado tão descuidadas. Você não dispõe de tempo para ir ao salão, não quer machucar seu filho com as quinas quadradas das unhas, ou perde o esmalte rapidamente ao lavar tantas roupinhas.  

Foto: Daniel Queiroz (o papai)

Você também pode ter sido uma viciada em salto alto e ter deixando um pouco de lado a vaidade, priorizando o conforto e a segurança ao carregar o seu bebê, na barriga ou nos braços. Antes do salto, você pensará no peso, no carrinho e nas tralhinhas do seu pequeno, na escada ali adiante.   

Seus vestidos podem estar escanteados no armário. Seu guarda-roupas certamente ganhará peças mais práticas, porque a possibilidade de você mostrar o que não quer aumenta consideravelmente na lida com o seu rebentinho. Além disso, suas blusas praticamente terão um único modelo: botões na frente. E suas bolsas? Esqueça cada uma delas, pelo menos no início da vida materna; você já vai levar a sacola do bebê. Ah! Esqueça ainda os brincos pendentes, colares, e anéis com pedrarias. Seus acessórios facilmente se transformarão em armas ou sairão largando continhas por aí...  

Seus cabelos podem não ser mais os mesmos. Podem estar ralos, enfraquecidos, sem pintar, sem tratamento químico. Os hormônios estarão aí para mostrar a que vieram e a amamentação será, por um tempo, empecilho para suas fotos de comercial de shampoo. Como se não bastasse, o coque vai virar o seu penteado predileto.   

Sua barriga poderá nunca voltar ao lugar. E poderá, ainda, ter uma cicatriz para sempre. Você pode ter ganhado vasinhos nas pernas, quadris mais largos, estrias ou uma pele mais flácida.

As olheiras poderão ser suas companheiras por um longo período, porque seu filho não dorme bem à noite ou porque ele dorme bem e, mesmo assim,você acorda algumas vezes para monitorá-lo durante a madrugada. É. Junto com as olheiras, pequenas paranoias podem fazer parte do seu pacote maternidade, como a de verificar se o bebê está respirando... E essas olheiras, fundas, roxas, execráveis, poderão estar à mostra porque você não tem paciência ou tempo agora para maquiá-las.  

Não! Você não será a mais feia das mortais! Tudo isso passa. E, se não passar, você vai se adaptar; acredite. Com o tempo, você encontra o seu jeito, a sua forma de lidar com isso, e logo poderá estar realmente feliz com o que vê no espelho. O que te deixará mais linda, como nunca antes, será a sua metamorfose. Quando se torna mãe, a mulher passa por uma mudança profunda, revelada em gestos mais solidários e em um olhar mais compreensivo e terno.   


You Might Also Like

2 comentários

Que bom ter a sua participação! Volte sempre!

Like us on Facebook