Pular para o conteúdo principal

Não quero ser a Mulher Maravilha, mas a Mulher Maravilhosa

Para marcar o Dia Internacional da Mulher, comemorado ontem (8 de março), empresas e pessoas atuantes nas redes sociais postaram incontáveis imagens de mulheres fortes, guerreiras, e da Mulher Maravilha, simbolizando a heroína que cada uma de nós representa, o "sexo forte", que veste múltiplas funções diariamente e faz malabarismos para dar conta de tantas tarefas. Não é fácil, de verdade, ser profissional, esposa, mãe, enfim, mulher. Só que preciso admitir que esse rótulo de "Mulher Maravilha" me incomoda... Não quero (e não posso) ser a "Mulher Maravilha", quero ser a "Mulher Maravilhosa"!


Minha segunda gestação. Aqui com 19 semanas. Foto: Andresa de Sá.

A Mulher Maravilha tem super poderes, salva a si mesma e a humanidade, é implacável, sempre vence, vive impecável, supera todos os obstáculos com seu próprio braço, não depende de outras pessoas nem de nada para resolver seus embates, e faz tudo com perfeição, em tempo recorde. A Mulher Maravilhosa é aquela que tem força, garra, mas é humana, portanto, tem momentos de fraqueza. É aquela que apesar das dificuldades dá o melhor de si e se permite chorar quando bate o cansaço ou precisa de colo. É aquela que nem sempre está com maquiagem perfeita e salto alto, mas é naturalmente bonita, por sua dedicação e sensibilidade. A Mulher Maravilhosa falha e aprende, tem fé em Deus e sabe que Ele é quem a ajuda a realizar todas as coisas. Ela tentará cumprir seu check list e certamente vai deixar algo a desejar e, dessa forma, entender a cada dia que não tem o controle das circunstâncias, e ficará feliz com o reconhecimento e o carinho das pessoas que a amam. 

A Mulher Maravilhosa tem sonhos, talentos e desejos, como qualquer pessoa, mas também sabe que abrir mão de alguns deles, momentaneamente, poderá ser necessário. A maternidade, por exemplo, encherá seu coração com um turbilhão de sentimentos: medo, coragem, felicidade, insegurança, plenitude, angústia, culpa, contentamento. Junto com tudo isso, vem uma certa anulação e nisso também mora o amor incondicional de que tanto ouvimos falar, antes de ter uma vida sob nossos cuidados, sem entender profundamente o que significa. Essa Mulher Maravilhosa, quando mãe, ainda será a mesma (talvez menos egoísta), terá a sua essência, e essa marca ficará, inevitavelmente, no que fizer, porque deixar um pouco de si pra depois é deixar um pouco de si nas pessoas.   

A noite romântica com o marido poderá se transformar numa noite de filme com pipoca em casa, por causa dos filhos. O scarpin muitas vezes será trocado por uma sapatilha, porque carregar o pequeno tem causado dores na coluna. Com o surgimento de gastos inesperados com a família, a viagem internacional planejada há alguns meses poderá ser substituída por um final de semana na casa de praia da família. E a Mulher Maravilhosa não vai gastar toda a sua energia para reverter cada situação dessa, como quem precisa correr a todo custo atrás da perda da sua individualidade. Mesmo que role a frustração inicial, a Mulher Maravilhosa vai ver o lado positivo do que a vida lhe apresenta e ser madura o suficiente para compreender que nem tudo é como a gente quer e que as nossas escolhas vão, inevitavelmente, trazer novas obrigações e nova vida (novas experiências, desafios e alegrias).   

Leia também:





Instagram: @blog.essamae   

   


Comentários

  1. Talento versus meiguice, capacidade de interpretar diversos papeis com a inteligencia emocional em pleno movimento, dá o tom desse incrível texto cheio de sabedoria! Parabéns!!!! Amotudoquevocefaz!!😍

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Que bom ter a sua participação! Volte sempre!

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí! Foto: Ingrid Dragone 1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente a

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho!  Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos,  infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF ( Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) -  e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40%

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar.  Foto: Ingrid Dragone  1.  Não poste fotos do seu filho nu  - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa no