Pular para o conteúdo principal

Psicóloga fala sobre ansiedade infantil

Como os pais podem perceber se o filho está sofrendo de ansiedade infantil? Que sinais ele apresenta? O que pode causar esse tipo de comportamento? O que fazer nesses casos? Para responder a essas e outras dúvidas, o Blog Essa Mãe traz a entrevista que eu fiz com a psicóloga Priscilla Rodrigues Soares, especialista em Psicologia da Infância, com atuação na área escolar, através de palestras sobre o desenvolvimento humano e orientação a pais e professores. Confira!   


Imagem da Internet 

Blog Essa Mãe - O que caracteriza a ansiedade infantil? Quais os sinais? 
Priscilla - A ansiedade infantil caracteriza-se pelo sofrimento excessivo e recorrente frente à ocorrência ou previsão de afastamento dos pais; preocupação persistente e excessiva acerca de perigos imaginados; recusa ou relutância a ir para a escola ou outros lugares desacompanhado; temor excessivo de ficar sozinho em casa; dificuldades para adormecer sem uma figura de vinculação ou para dormir fora de casa; pesadelos e queixas somáticas persistentes. 

Blog Essa Mãe - De que maneira os pais podem perceber que a ansiedade do filho passou a ser patológica?
Priscilla - A ansiedade se configura como patológica quando a criança está constantemente em um estado de apreensão, agitação e preocupação. Em casos mais acentuados, apresenta também sintomas fisiológicos como dificuldades no sono, na alimentação, taquicardia, dores de cabeça, tontura e falta de ar. 

Blog Essa Mãe - A forma de criação com certeza influencia na formação de uma criança ansiosa. Que condutas dos pais levam a isso?
PriscillaExcesso de expectativa em relação ao desempenho da criança; estabelecimento de rotina intensa com excesso de atividades e pouco tempo livre para a criança brincar, relaxar e se relacionar espontaneamente com amigos e familiares; posturas inconstantes no estabelecimento de regras, ora muito flexíveis ora muito rígidas; atitudes controladoras; cercar e acompanhar tudo que a criança realiza; atitudes de superproteção, o que invalida a capacidade de autonomia da criança; e atitudes de desamparo e abandono afetivo.

Blog Essa Mãe - O excesso de informações cotidiana também pode transformar a criança tranquila numa criança ansiosa?
Priscilla - O excesso de informação mantém a criança sempre em estado de alerta, “ligada”, impedindo-a de ter períodos de relaxação e descontração necessários para reencontrar o seu bem-estar e equilíbrio interno.

Blog Essa Mãe - A cobrança por perfeccionismo pode transformar a criança em um adulto que se cobra muito ou estressado?
Priscilla - Sim. A construção da identidade é realizada na relação com os pais. Se o filho teve um padrão de educação exigente, ao tentar corresponder este modelo, ele desenvolverá traços de rigidez e perfeccionismo em sua identidade. Pelo fato de a vida ser fluida, uma criança perfeccionista será constantemente frustrada com os imprevistos com que se depara, e pela sua rigidez tenderá a sofrer dificuldade para se readaptar à realidade.

Blog Essa Mãe - Qual contorno familiar ou hábitos da família podem levar a criança a ser ansiosa?
Priscilla - Os pais são fundamentais para o desenvolvimento da estabilidade emocional das crianças. Em uma estruturar familiar rígida ou desajustada, na qual se desconsidera as necessidades físicas, emocionais e sociais da criança, não se estabelece uma vinculação segura com as figuras parentais e uma rotina equilibrada de acordo com a faixa etária dela, o que provocará desequilíbrios que poderão tornar essa criança ansiosa.

Blog Essa Mãe - Como os pais devem fazer para não confundir ansiedade com expectativa?
PriscillaA expectativa é um sentimento que contém motivação; por exemplo, quando a criança tem expectativa de fazer um passeio, ela fica entusiasmada, motivada para viver o passeio; diferentemente da ansiedade, na qual existe sofrimento e angustia em relação ao fato. Na ansiedade, a criança teme o fato e os sentimentos ruins passam a dominá-la, afetando a continuidade da sua rotina e dos relacionamentos.

Blog Essa Mãe - Uma criança com que características pode facilmente se tornar ansiosa?
Priscilla - A ansiedade surge a partir de desajustes contextuais ou através de alterações nos transmissores químicos cerebrais. Geralmente as crianças predominantemente desamparadas pelas figuras parentais, insatisfeitas, inquietas, impulsivas, que solicitam frequentemente o adulto, estão propícias a desenvolver ansiedade.

Blog Essa Mãe - Como tratar a ansiedade infantil?
Priscilla - É importante manter a rotina da criança, a qualidade no contato afetivo, acolhendo-a no seu sofrimento, sem reforçar o comportamento ansioso e os ganhos secundários como, por exemplo, dormir na cama dos pais. Além disso, é necessário buscar ajuda profissional.


Priscilla Rodrigues Soares (Psicóloga Clinica - CRP 04/19904) é Graduada em Psicologia pela UFMG; Especialista em Psicologia da Infância pela UNIFESP; Terapeuta em EMDR; tem formação em Psicoterapia Relacional e Psicoterapia Analítico - Fenomenológica Existencial; e integra a Oficina de Psicologia.  

Leia também:






Instagram: @blog.essamae 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí!

1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente até hoje (ela tem 10 meses).
2. O…

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho! 
Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos, infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) - e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40% a incidênc…

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar. 


1. Não poste fotos do seu filho nu - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa nova. Os pedófilos gostam de procurar f…