Pular para o conteúdo principal

Cicatriz de cesariana pode causar dor na coluna

Quantas vezes ouvimos mulheres reclamando que após a maternidade as dores na coluna tornaram-se frequentes e intensas? O que muita gente não sabe é que esse desconforto pode se originar da cicatriz de uma cesariana. Para abordar esse assunto, eu entrevistei a fisioterapeuta Leilane Paixão, especialista em osteopatia. Ela fala sobre prevenção, diagnóstico, tratamento, e traz várias informações interessantes. Confira!


Imagem da Internet 

Ingrid Dragone - Muitas mulheres sentem dor na coluna após terem filhos e não imaginam que o problema possa ter a ver com a cicatriz do parto. O que ocorre no corpo para que isso aconteça?
Leilane Paixão - A cicatriz é um processo de reconstrução tecidual, para que o tecido volte a exercer sua função pós-lesão, sendo essa lesão cirúrgica ou não. Porém, a depender do processo de cicatrização de cada pessoa, o tecido pode gerar fibroses, diminuindo a elasticidade e a flexibilidade tecidual, e isso pode causar dores, rigidez, redução da mobilidade ou da flexibilidade da região em questão.

Ingrid Dragone - Como evitar o problema?
Leilane Paixão - A aderência cicatricial é evitada através de uma boa ingestão hídrica e da mobilização cicatricial feita pelo fisioterapeuta para que os tecidos se mantenham com boa mobilidade e irrigação sanguínea. Mulheres com complicações durante o parto ou que tiveram um parto mais demorado, como o de gravidez gemelar, tendem a desenvolver mais a fibrose.  

Ingrid Dragone - Como a mulher descobre que a causa da dor da coluna está relacionada à cicatrização da cesariana? Como é dado o diagnóstico? Quais exames e avaliações são necessários?
Leilane Paixão - Geralmente o diagnóstico das aderências é feito pelo exame físico, à palpação, mas pode ser realizada uma tomografia computadorizada. O que a mulher deve observar é quando as dores lombares tiveram início. Se houver “coincidência” cronológica com o pós-parto cesariano, as chances de existir aderência são consideráveis, e ela deve procurar um osteopata para tratar e diminuir a sobrecarga mecânica.

Ingrid Dragone - Como o fisioterapeuta pode ajudar nesses casos?
Leilane Paixão - O fisioterapeuta pode mobilizar a cicatriz, aumentando as chances de uma boa recuperação e diminuindo os riscos de fibroses.

Ingrid Dragone - A dor na coluna pela cicatriz tem mais a ver com a predisposição da mulher, ou com um possível trabalho “mal feito” do obstetra ou com a falta de orientação sobre os cuidados necessários após o parto?
Leilane Paixão -  A predisposição tem ligação com a genética, com o momento emocional da mãe e, muitas vezes, com a desinformação sobre o pós-operatório.

Ingrid Dragone - Somente a lombar ou outras regiões também são afetadas?
Leilane Paixão - O corpo é uma unidade e, como tal, qualquer região pode ser afetada a longo prazo. Geralmente, a lombar e o intestino (a paciente começa a apresentar constipação) são as áreas mais atingidas.

Ingrid Dragone Outro tratamento ou atividade física são indicados para, paralelamente, ajudar a sanar o problema?
Leilane Paixão - Exercícios de fortalecimento lombar, que trabalhem o músculo transverso do abdome, como o pilates, são bastante indicados.

Ingrid Dragone - A cura da dor pode ser completa?
Leilane Paixão - Sim! Sanada a causa, ou seja, tratando a fibrose, a paciente não sentirá mais dor. A longo prazo, uma aderência não tratada pode gerar maiores problemas pelo estresse mecânico como, por exemplo, uma hérnia discal. Acontecendo isso, o tratamento se prolonga um pouco mais.

Ingrid Dragone - Qual profissional está habilitado para resolver o problema?
Leilane Paixão - Fisioterapeuta especializado em osteopatia, terapias manuais ou dermato-funcional.


Leilane Paixão é fisioterapeuta pós-graduada em osteopatia, capacitada em drenagem linfática, reabilitação vestibular, terapias manuais, ventosaterapia, dry needling, e cursa especialização em acupuntura. Atualmente trabalha em uma clínica e faz atendimento domiciliar. Contato: lanepaixao@hotmail.com. 


Leia também:






Instagram: @blog.essamae 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí!

1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente até hoje (ela tem 10 meses).
2. O…

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho! 
Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos, infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) - e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40% a incidênc…

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar. 


1. Não poste fotos do seu filho nu - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa nova. Os pedófilos gostam de procurar f…