Saúde e bem-estar

Cicatriz de cesariana pode causar dor na coluna

15:03

Quantas vezes ouvimos mulheres reclamando que após a maternidade as dores na coluna tornaram-se frequentes e intensas? O que muita gente não sabe é que esse desconforto pode se originar da cicatriz de uma cesariana. Para abordar esse assunto, eu entrevistei a fisioterapeuta Leilane Paixão, especialista em osteopatia. Ela fala sobre prevenção, diagnóstico, tratamento, e traz várias informações interessantes. Confira!


Imagem da Internet 

Ingrid Dragone - Muitas mulheres sentem dor na coluna após terem filhos e não imaginam que o problema possa ter a ver com a cicatriz do parto. O que ocorre no corpo para que isso aconteça?
Leilane Paixão - A cicatriz é um processo de reconstrução tecidual, para que o tecido volte a exercer sua função pós-lesão, sendo essa lesão cirúrgica ou não. Porém, a depender do processo de cicatrização de cada pessoa, o tecido pode gerar fibroses, diminuindo a elasticidade e a flexibilidade tecidual, e isso pode causar dores, rigidez, redução da mobilidade ou da flexibilidade da região em questão.

Ingrid Dragone - Como evitar o problema?
Leilane Paixão - A aderência cicatricial é evitada através de uma boa ingestão hídrica e da mobilização cicatricial feita pelo fisioterapeuta para que os tecidos se mantenham com boa mobilidade e irrigação sanguínea. Mulheres com complicações durante o parto ou que tiveram um parto mais demorado, como o de gravidez gemelar, tendem a desenvolver mais a fibrose.  

Ingrid Dragone - Como a mulher descobre que a causa da dor da coluna está relacionada à cicatrização da cesariana? Como é dado o diagnóstico? Quais exames e avaliações são necessários?
Leilane Paixão - Geralmente o diagnóstico das aderências é feito pelo exame físico, à palpação, mas pode ser realizada uma tomografia computadorizada. O que a mulher deve observar é quando as dores lombares tiveram início. Se houver “coincidência” cronológica com o pós-parto cesariano, as chances de existir aderência são consideráveis, e ela deve procurar um osteopata para tratar e diminuir a sobrecarga mecânica.

Ingrid Dragone - Como o fisioterapeuta pode ajudar nesses casos?
Leilane Paixão - O fisioterapeuta pode mobilizar a cicatriz, aumentando as chances de uma boa recuperação e diminuindo os riscos de fibroses.

Ingrid Dragone - A dor na coluna pela cicatriz tem mais a ver com a predisposição da mulher, ou com um possível trabalho “mal feito” do obstetra ou com a falta de orientação sobre os cuidados necessários após o parto?
Leilane Paixão -  A predisposição tem ligação com a genética, com o momento emocional da mãe e, muitas vezes, com a desinformação sobre o pós-operatório.

Ingrid Dragone - Somente a lombar ou outras regiões também são afetadas?
Leilane Paixão - O corpo é uma unidade e, como tal, qualquer região pode ser afetada a longo prazo. Geralmente, a lombar e o intestino (a paciente começa a apresentar constipação) são as áreas mais atingidas.

Ingrid Dragone Outro tratamento ou atividade física são indicados para, paralelamente, ajudar a sanar o problema?
Leilane Paixão - Exercícios de fortalecimento lombar, que trabalhem o músculo transverso do abdome, como o pilates, são bastante indicados.

Ingrid Dragone - A cura da dor pode ser completa?
Leilane Paixão - Sim! Sanada a causa, ou seja, tratando a fibrose, a paciente não sentirá mais dor. A longo prazo, uma aderência não tratada pode gerar maiores problemas pelo estresse mecânico como, por exemplo, uma hérnia discal. Acontecendo isso, o tratamento se prolonga um pouco mais.

Ingrid Dragone - Qual profissional está habilitado para resolver o problema?
Leilane Paixão - Fisioterapeuta especializado em osteopatia, terapias manuais ou dermato-funcional.


Leilane Paixão é fisioterapeuta pós-graduada em osteopatia, capacitada em drenagem linfática, reabilitação vestibular, terapias manuais, ventosaterapia, dry needling, e cursa especialização em acupuntura. Atualmente trabalha em uma clínica e faz atendimento domiciliar. Contato: lanepaixao@hotmail.com. 


Leia também:






Instagram: @blog.essamae 


You Might Also Like

0 comentários

Que bom ter a sua participação! Volte sempre!