Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2020

Casamento saudável após os filhos

A gente sabe que após os filhos a vida muda completamente. Nessa etapa, a maioria dos casais encontra dificuldades para experimentar bons momentos a dois. Além disso, homem e mulher, não raro, tornam-se, basicamente, "sócios" nos cuidados com os filhos e na administração da casa.  Para manter o casamento saudável, é necessário que o casal adote alguns hábitos: 1. Sair sem as crianças, às vezes, para jantar, tomar um vinho, ir ao teatro. 2. Dividir as tarefas domésticas, para que uma das partes não fique sobrecarregada e perca o ânimo de se envolver em outras atividades. 3. Manter a vida sexual ativa, reservando momentos com menor possibilidade de "interrupção" ou escolhendo momentos não previsíveis da rotina, para "movimentar" o relacionamento. Tudo depende do perfil do casal. 4. Deixar os filhos com os avós para uma viagem a dois. 5. Escolher um dia da semana para ser o dia especial do casal. Pode rolar uma sessão de cinema em casa, um jantar diferente. 6

Livros infantis e habilidades socioemocionais

Habilidades socioemocionais são competências que podemos desenvolver para: 1.Lidar com emoções. 2.Gerir metas. 3.Nos relacionarmos com os outros. São habilidades socioemocionais: Autoconhecimento Empatia Espírito colaborativo Resiliência As habilidades socioemocionais determinam o comportamento de uma pessoa. Quando bem desenvolvidas, essas habilidades podem judá-la a enfrentar melhor situações mais complexas, momentos de crise, mudanças e estresse. As habilidades socioemocionais trazem benefícios pessoais e profissionais para a pessoa que as desenvolve, e para todos ao seu redor, nos ambientes por ela frequentados.   O homem é um ser social por essência. Portanto, o estímulo (orientado) ao desenvolvimento das habilidades socioemocionais pode começar na infância.  Como estimular nas crianças o desenvolvimento das habilidades sociemocionais? 1.Diálogo - Ensinamentos com linguagem apropriada à idade da criança, exemplos de circunstâncias do dia a dia etc. 2.Exemplo - Crianças aprendem mu

Conteúdos infantis: nem tudo que é "lícito" convém aos nossos filhos

Confesso: já imaginei esses brinquedos do filme Toy Story ganhando vida e explorando a casa enquanto dormimos! Sério!!! Hahaha Maluquice à parte, quero falar de um assunto importante aqui. O nosso imaginário pode realmente influenciar nosso comportamento. Precisamos prestar atenção nos conteúdos que consumimos. Eu, por exemplo, adoro a série de desenhos que inspirou a foto deste post, mas acho algumas cenas inapropriadas para crianças menores, cenas com bonecos meio macabros. Nessas partes, eu ajo "adiantando a fita" e percebo que meus filhos preferem assim. Por que estou falando disso?  Notei, há cerca de um mês, que os fraldinhas estavam com o sono mais agitado, tendo muitos pesadelos e se "batendo" na cama mais que o normal. Parei para analisar a situação e pensei imediatamente na questão do inconsciente deles. Foi então que resolvi deixá-los em abstinência de desenhos de super-heróis por um tempo. What??? Sabe aquela história de que nem sempre as coisas lícitas

O mito da incapacidade paterna

Grande parte das mães reclama da carga de cuidar sozinha do filho e, contraditoriamente, não deixa que o pai da criança exerça a paternidade, em sua plenitude. A dificuldade de delegar tarefas e a sensação equivocada de controle das situações, além da culpa, fazem a mulher tomar para si toda a responsabilidade pela criação do filho. No final das contas, ela está exausta e sem tempo para o autocuidado.  O mais interessante dessa história é que, muitas vezes, o pai surpreende ao assumir o papel de cuidador do filho. Obviamente, ele vai desempenhar as tarefas relativas aos cuidados com a criança de maneira diferente, não apenas por ser homem, mas por ser, simplesmente, outra pessoa. Mesmo que algumas (ou muitas) das 458 orientações da mãe sejam esquecidas por ele ao longo do dia, no geral, tudo vai dar certo! Se você age dessa maneira, centralizando em você todos os cuidados com o seu filho, leia esse post. Se não é o seu caso, indique esse conteúdo para alguém que precisa ler sobre o ass