Pular para o conteúdo principal

O Começo da Vida 2 - Lá fora

Se você assistiu e gostou do documentário "O começo da vida", provavelmente irá gostar do  documentário "O começo da vida 2 - lá fora". O título disponível no Netflix não é exatamente uma continuação do primeiro, mas traz uma abordagem muito interessante sobre a importância do contato das crianças com a natureza.



Destaquei aqui alguns argumentos importantes levantados pelo filme:

➡️ Na sociedade moderna, as pessoas não se reconhecem como parte da natureza. 

➡️ As construções, a poluição e a violência dos grandes centros urbanos têm impedido as crianças de experimentar uma infância saudável como a de outras gerações. 

➡️ Sem se compreenderem como parte da natureza, as pessoas não vão amá-la por completo e profundamente. Sem esse entendimento, podem defender a sua preservação, mas como um "objeto" à parte.

➡️ Os seres humanos estão cada vez mais deprimidos e doentes. Muito disso tem a ver com o fato de não se conectarem com a natureza. E fomos criados para viver nela!

➡️ As salas de aula foram institucionalizadas como o "lugar de aprendizado", mas do lado de fora há um universo infinito para ser explorado.

➡️ Precisamos de políticas públicas que considerem, de verdade, a importância da natureza em nosso dia a dia. É preciso que as pessoas parem de enxergá-la como um "efeite" ou um "respiro".

➡️ O autoconhecimento passa pela conexão com a natureza.

➡️ Vivemos na ilusão de que a natureza é um acessório e não uma parte fundamental da nossa existência.

➡️ A sociedade do consumo, do concreto e da tecnologia está cortando o nosso contato com a natureza e com o natural (relacionamentos reais, olho no olho etc.). 


Este é o primeiro documentário da série


🌿 Vale a pena assistir! 🌿


Leia também:

Matéria sobre o meu livro "A estreia dos pequeninos"

Conteúdos infantis: nem tudo que é "lícito" convém aos nossos filhos

Por que ler para uma criança?


Mais conteúdos no Instagram. CLIQUE AQUI


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dezesseis dicas para ajudar o bebê a dormir melhor

Uma das coisas que deixam qualquer mãe muito cansada (e até estressada) é o sono intranquilo ou irregular do bebê. Na verdade, é impossível criar uma receita infalível e adaptável a todos os casos, pensando em fazer a criança dormir melhor. Os bebezinhos, como nós, são pessoas (!), com suas dificuldades, manias, vontades e particularidades. Para tentar ajudar quem está passando por essa fase de noites mal dormidas, vou listar alguns truques simples, todos testados com minha filha e com bons resultados. Anote aí! Foto: Ingrid Dragone 1. No início, o bebê tende a trocar o dia pela noite. Assim, desde que ele nasce, é bom ensinar o que é dia e o que é noite. Durante o dia ele deve cochilar com a luz natural e acostumado com todos os sons da rotina da casa. Já à noite, defina um horário, escureça o quarto (pode ser parcialmente, se preferir) e diminua o volume. Fiz isso com minha filha, definindo o game over às 20h. Coincidentemente ou não, é o horário que ela dorme diariamente a

Campanha Lave as Mãos para Pegar no Bebê!

Atenção, mamãe! Não ligue se a sua visita (gente da família ou não) torcer o nariz por "precisar" lavar as mãos para pegar no seu bebê. Percebi que, especialmente, as pessoas mais velhas apresentam maior resistência a esse tipo de pedido, acham frescura. Passar álcool em gel depois da lavagem das mãos? Colocar uma fraldinha em cima da roupa para carregar o bebê? Piorou ainda... E qual o seu papel nessa hora? Ser firme e zelar pela saúde do seu filho!  Você sabia que existe o Dia Mundial da Higienização das Mãos? Pois é! Todo 05 de maio as campanhas se intensificam, lembrando que o simples ato de lavar as mãos previne doenças como infecção nos olhos,  infecção estomacal e respiratória, gripes, resfriados, diarreia, doenças de pele, dor de garganta, infecção no ouvido e erupções na pele. Segundo a UNICEF ( Fundo das Nações Unidas para a Infância) - instituição da ONU (Organização das Nações Unidas) -  e a OMS (Organização Mundial da Saúde), é possível reduzir em até 40%

Fotos do seu filho que você não deve postar nas redes sociais

Está rolando nesta semana uma brincadeira nas redes sociais chamada "Desafio da Maternidade". Trata-se de uma corrente em que as mães marcam outras dez grandes mães, assim por elas consideradas, em suas linhas do tempo do Facebook para que cada uma poste três fotos de momentos que foram marcantes para elas no quesito "ser mãe". O assunto gerou um pouco de polêmica e até há uma suspeita de que a tal corrente tenha sido criada por um grupo de pedófilos para a "coleção" de novas fotos de crianças e divulgação dessas imagens em sites "indevidos". Boato ou não, a questão é que cada mãe toma sua própria decisão sobre postar ou não as fotos dos seus filhos nas redes sociais. Bem, a ideia deste texto é apenas orientar as mamães sobre que tipos de fotos dos pequenos nunca postar.  Foto: Ingrid Dragone  1.  Não poste fotos do seu filho nu  - Não interessa se na imagem ele está tomando banho, trocando a fraldinha, ou experimentando uma roupa no